Guia de sobrevivência do crédito à habitação: este é o quarto passo…

Os bancos voltaram a abrir a torneira do crédito à habitação. Mas há cuidados a ter em conta ao pedir um empréstimo. Por isso o idealista/news preparou, com a ajuda da Deco – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, um guia de sobrevivência na hora de pedir um crédito à habitação, que começámos a publicar há três semanas. Hoje explicamos-te tudo sobre a documentação necessária para comprar casa (simulação e formalização contratual).

Se pretendes contratar um crédito à habitação, prepara a documentação que te será exigida pelo banco, seja qual for a modalidade de crédito, a fornecer pelos proponentes e fiador(es): 

1ª Fase – Simulação e proposta pré-contratual

Faz a simulação em vários bancos, compara a Ficha de Informação Normalizada Europeia (FINE) e decide sobre qual o melhor banco. Formaliza o pedido de crédito à habitação, fornecendo:

  • Documento de identificação (Cartão de Cidadão ou BI e NIF);
  • Declaração de Rendimentos e Nota de liquidação do IRS;
  • Três últimos recibos de vencimento e/ou recibos verdes de trabalhadores independentes e extratos bancários (se exigido).

2ª Fase – Avaliação do imóvel e proposta de seguros

Para a avaliação prévia do imóvel, precisarás dos seguintes documentos:

  • Caderneta Predial (AT – Autoridade Tributária e Aduaneira);
  • Licença de utilização (imóveis construídos após agosto de 1951) ou de construção (Câmara Municipal);
  • Planta de localização e do imóvel (se exigido).

3ª Fase – Aprovação do crédito e contrato-promessa de compra e venda

No contrato-promessa o comprador e vendedor declaram a intenção de transação do imóvel. 

4.ª Fase – Formalização contratual: escritura

Para a escritura, necessitarás do contrato-promessa de compra e venda e da seguinte documentação:

  • Documentos de Identificação (Cartão de Cidadão ou BI e NIF) do comprador e so vendedor;
  • Certificado Energético;
  • Certidão de Teor atualizada com o registo (Conservatória do Registo Predial);
  • Caderneta Predial Urbana ou Pedido de inscrição do Prédio na matriz (AT);
  • Licença de utilização, para imóveis construídos após agosto de 1951 (Câmara Municipal);
  • Ficha Técnica da Habitação (se legalmente exigível);
  • Proposta dos seguros multirriscos-habitação e de vida (se necessário);
  • Distrate de hipoteca (se aplicável);
  • Comprovativo do pagamento do IMT e do Imposto do Selo.

Se tiveres crédito à habitação para liquidar, deves juntar declaração do valor em dívida.

Informa-te, avalia em consciência e toma a melhor decisão!

Fonte: “Idealista”

Leave a Reply

Your email address will not be published.